domingo, 30 de novembro de 2008

ENTRE O MAR E AS ESTRELAS



Não deixo de pensar nos teus beijos e abraços,
Quem sou eu na estrutura da tua vida?
Que aroma derramas na minha alma,
Sinto e respiro o teu amor…
Na espera, aqui, na noite calma.
Entre o mar e as estrelas,
As nuvens formam o teu nome,
A única coisa que sei é que te amo,
És metade da minha vida…
A única mulher para mim.
Coloquei o tempo nas tuas mãos,
Pedaço de vida que tenho junto a ti,
Meu amor impossível, invisível, irresistível,
Mulher verdade a quem escrevo estas letras,
Sem o teu amor não sou nada…


http://osaldanossapele.blogs.sapo.pt/

Um comentário:

João da Silva disse...

Caro amigo, os melhores versos são os escritos com a alma; com o coração apaixonado; com a verdade; com o sentimento legítimo que se chama amor. São estes. São belíssimos.
Abraços sinceros e legítimos do João a você e a ela.