domingo, 7 de dezembro de 2008

SOLIDÃO!...


Abre-se a porta
Numa esperança vã,
O vento lá fora
Atrasa o amanhã.
A noite já longa
Apraz-me com a solidão
Da melancolia que ronda
As margens do meu chão.
A dureza da verdade é o limite
Da cruel realidade que me transmite,
Que querer negar que sofro,
É cobardia...
Querer parar o choro,
Fantasia...
Aperto tua foto contra o peito,
Acarinho-a, dou-lhe beijos,
É o meu jeito...
Eu sei!
Não consigo recuar o tempo,
Mas tudo o que escrevo e digo
É sentimento!

Ana Martins

2 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

É mesmo o teu jeito de pensar.. não fosse pela autoria abaixo, diria que é teu proprio pensamento, tão certo que é...
beijos

Ana Martins disse...

Olá,
é sempre bom chegar aqui e constatar que o que escrevo também está incluido nas suas poesias favoritas.

Beijinhos