quarta-feira, 7 de outubro de 2009

RUA SEM NOME

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Vou andando feliz pelas ruas sem nome...
Que vento bom sopra do Mar Oceano!
Meu amor eu nem sei como se chama,
Nem sei se é muito longe o Mar Oceano...
Mas há vasos cobertos de conchinhas
Sobre as mesas... e moças na janelas
Com brincos e pulseiras de coral...
Búzios calçando portas... caravelas
Sonhando imóveis sobre velhos pianos...
Nisto,
Na vitrina do bric o teu sorriso, Antínous,
E eu me lembrei do pobre imperador Adriano,
De su'alma perdida e vaga na neblina...
Mas como sopra o vento sobre o Mar Oceano!
Se eu morresse amanhã, só deixaria, só,
Uma caixa de música
Uma bússola
Um mapa figurado
Uns poemas cheios de beleza única
De estarem inconclusos...
Mas como sopra o vento nestas ruas de outono!
E eu nem sei, eu nem sei como te chamas...
Mas nos encontramos sobre o Mar Oceano,
Quando eu também já não tiver mais nome.


Mario Quintana

16 comentários:

Arantza G. disse...

Precioso...
Me gusta lo de pulseras de coral...
El mar siempre es una delicia.
Besos

Sonia Schmorantz disse...

Gosto demais deste poema do Quintana, mas tua especialidade são imagens, esta série da Lagoa está linda, vi no teu orkut e já acrescentei mais algumas ao meu, rssss
te amo
beijos

RETIRO do ÉDEN disse...

Continuam as fotos de maravilha...quanto à escolha das palavras...sempre com muito gosto e sensibilidade.

Obga. pela partilha.

Abraço
Mer

Gabi disse...

Que maravilhosa Rua sem Nome, um poema que se lê como se de música se tratasse. Beijão Eduardo

Carmem L Vilanova disse...

Estou passando para deixar os meus costumeiros...


Beijos, flores e muitos sorrisos!

Eliana disse...

BOM DIA, Eduardo

Vim passear um pouquinho aqui nessas ruas sem nome.

Acho que nada deveria ter um nome fixo, desta forma a gente sempre seria livre para dar um nome para cada momento e cada situação.

Por exemplo: Meu filho sem nome. Eu poderia chamá-lo, sempre, de acordo com o meu coração para cada situação. As palavras seriam sempre as melhores, pois seriam as que combinariam com o momento.

O AMOR é a única linguagem UNIVERSAL. Você pode viajar o mundo inteiro e usar sòmente esta linguagem que você será entendido.

Pode não ser aceito, mas isto acontece com qualquer linguagem, mas pelo menos não precisamos estudar mais idioma nenhum.

Obrigada pelo amor com que tratas este cantinho, nos dando esta oportunidade de comunicação.

Um abençoado dia para todos vocês,
Fiquem com Deus,
Abraços,

Isa disse...

Bom Dia,Amigo.
Gostei do poema,mas das fotos nem se
fala!
Beijo.
isa.

(Carlos Soares) disse...

Fui lendo,lendo.Me apaixonando pelo poema e curioso por "quem seria o autor?". Claro.Mário Quintana. Lind,lindo. Um abraço e parabéns

(Carlos Soares) disse...

Fui lendo,lendo.Me apaixonando pelo poema e curioso por "quem seria o autor?". Claro.Mário Quintana. Lind,lindo. Um abraço e parabéns

FOTOS-SUSY disse...

OLA EDUARDO, LINDAS FOTOS COM UM BELISSIMO POEMA DE " MARIO QUINTANA " BELISSIMA ESCOLHA AMIGO...VOTOS DE UM EXCELENTE DIA!!!
BEIJOS DE AMIZADE,


SUSY

EternaApaixonada disse...

Eduardo

Que bom ler Quintana! Linda escolha!
As imagens... Ah! tenho de ser sempre repetitiva aqui... São lindas demais!
Você moram no paraíso!
Abraços e um fim de semana muito feliz, mesmo com chuva...

Haere Mai disse...

Um grato prazer ler Quintana! Belas as Imagens! Agradeço a tua permanencia mesmo na minha longa ausencia.

Bejo azul

Agulheta disse...

Amigo Eduardo! Belo o poema de mestre Quintana,eu adoro tudo que me ligue ao mar,e tenho um colar de pequenas conchas que adoro no verão o colocar,as fotos muito lindas como sempre neste espaço.
Beijinho amigo.

Lisa

HSLO disse...

Você...sempre com grandes textos e belíssimas imagens...amo.


abraços

Hugo

Graça Pereira disse...

Mário Quintana a escrever e o Eduardo a ilustrar, resulta:Perfeição!
Um beijo e um belissimo fim de semana.
Graça

J
U

Brancamar disse...

Mais uma vez a beleza dos versos associada às suas imagens fantásticas.

"Se eu morresse amanhã, só deixaria, só,
Uma caixa de música
Uma bússola
Um mapa figurado
Uns poemas cheios de beleza única
De estarem inconclusos..."

Impressionantemente lindo e pode acrescentar que estas fotografias belíssimas são também das mais lindas heranças para nos deixar e para pousarmos a alma sempre que vimos cá.
Obrigada Eduardo, pela partilha.
Beijinhos