quarta-feira, 4 de novembro de 2009

EM TODOS OS JARDINS

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Em todos os jardins hei-de florir,
Em todos beberei a lua cheia,
Quando enfim no meu fim eu possuir
Todas as praias onde o mar ondeia.

Um dia serei eu o mar e a areia,
A tudo quanto existe me hei-de unir,
E o meu sangue arrasta em cada veia
Esse abraço que um dia se há-de abrir.

Então receberei no meu desejo
Todo o fogo que habita na floresta
Conhecido por mim como num beijo.

Então serei o ritmo das paisagens,
A secreta abundância dessa festa
Que eu via prometida nas imagens.

(Sophia de Mello B. Andresen)

7 comentários:

Martinha disse...

Um óptimo texto de uma grande poetisa! Adoro a ideia de liberdade, do viver o carpe diem de Sophia! :D

Beijinho *

Fernanda disse...

Amigo Eduardo,

Amo Sophia Andreson. Costumava ler aos meus alunos, O Cavaleiro da Dinamarca e a Menina do Mar.

Não conhecia esta poesia dela, veleu a pena ter vindo visitá-lo, aliás como sempre.

Parabéns
Abraço

Luísa disse...

Sophia de Melo Anderson era uma SENHORA!
Delicada na escrita tal como era na atitude.
Parabéns pelo bom gosto na escolha do poema.
Beijinho terno

gaivota disse...

que maravilha! mais ainda com as palavras de sophia!!!
parabéns e execlente escolha
beijinhos

Sonia Schmorantz disse...

Linda escolha, um dia também serei o ritmo desta paisagem que tanto amamos.
Beijos
te amo muito

Cecília disse...

Não conhecia essa poesia. Adorei!!! Muito bem escrito!

Beijão!!!!

Paula Raposo disse...

Fantástica e eterna Sophia!!
Beijos.