sábado, 16 de janeiro de 2010

DEIXA - ME AMAR -TE

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Deixa-me amar-te em meus silêncios
Na calmaria do teu coração que me acolhe
E de onde se desprendem meus sonhos
Em vôos etéreos de plena liberdade

Deixa-me amar-te em minha solidão
Ainda que meus labirintos te confundam
E que teus fios generosos de compreensão
Emaranhem-se no tapete dos meus enigmas

Deixa-me amar-te sem qualquer explicação
Na ternura das tuas mãos que me sorriem
Escrevendo desejos em versos despidos
Na minha alva tez que te cobre e descobre

Deixa-me amar-te em meus segredos
Para que desvendes o que também desconheço
A alma dos meus abismos onde anoiteço
E meus olhos adormecem embalados pelo mistério

Deixa-me amar-te em tuas demoras, longas horas
Em que meu corpo se veste de céu à tua espera
E minhas mãos em frenesi acendem estrelas
Para alumiar-te, ainda que ausente estejas…

Fernanda Guimarães

13 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Lindo demais este poema, as imagens estão perfeitas, o lugar é mesmo assim, um paraíso!
te amo
beijo

MARIA L. BÓZOLI disse...

Maravilhoso texto e imagem.
Parabéns pela postagem amigooooooo

Agradeço sua visita...Bom Domingo!

Beijos M@ria

Deusa disse...

Ola meu amigo

Realmente estou passando uma fase muito difícil , pois meu pai encontra-se muito doente.
As palavras de Fernando Pessoa , que me deixou la no blog , me fizeram bem , vim aqui agradecer.
Um abraço apertado

meus instantes e momentos disse...

Parabens pelo blog, Foi muito bom conhecer.
ótimo texo/fotos.
Abçs.
Maurizio

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Amar de todas as maneiras, entre acertos, erros, desilusões e recomeços é o que há de mais pleno e sublime!

Beijo, Edu!

Isabel disse...

Lindas fotos, y tus letras, muy bonitas. Un beso

Dois Rios disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dois Rios disse...

Oi, Eduardo!

Obrigada pela bela citação. A propósito ela foi postada no Dois Rios em 16/10/2009.

A título de esclarecimento, gostaria de informar que a mesma não é de autoria de Fernando Pessoa como muitos na rede atribuem.

O verdadeiro autor do excerto era um escritor e professor de Literatura do Curso Objetivo de Campinas chamado Fernando Teixeira de Andrade, num texto intitulado O medo: o maior gigante da alma.

Um ótimo domingo pra você!

Abraços,
Inês

rosa-branca disse...

Olá Eduardo, lindo poema acompanhado das mais belas paisagens. Fantástico. Beijos.

{Amar Yasmine}_DEXPEX disse...

"Deixa-me amar-te assim bem rápido
Antes que eu seja condenada..."

Doces besos

{Amar Yasmine}_DEXPEX

LITERAGINDO disse...

Olá Eduardo,
Cheguei até você através do comentário deixado no post sobre o Haiti, da colega Márcia. Gosto muito de Fernando Pessoa e foste pontual na discussão levantada. Sou paranaense, de Paranaguá, aqui nestas águas paraenses, e adorei suas belas imagens. Faz bem! Que essa atmosfera positiva irradie às pessoas que estão em Porto Príncipe. Um grande abraço!
Maria do Rocio

Pelos caminhos da vida. disse...

Pra você, boa semana,
Muito amor no dia-a-dia,
Paz e saúde junto aos seus
E montanhas de alegria!!

beijooo.

tossan disse...

Tá certo Eduardo, o poema da Fernanda é lindíssimo e casa com a tua última foto...Que foto hein! Ainda não foi com a máquina nova foi? Abraço