terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

MADRIGAL MELANCÓLICO

Clique nas fotos para ver no tamanho real


O que eu adoro em ti
Não é sua beleza
A beleza é em nós que existe
A beleza é um conceito
E a beleza é triste
Não é triste em si
Mas pelo que há nela
De fragilidade e incerteza
O que eu adoro em ti
Não é a tua inteligência
Mas é o espírito sutil
Tão ágil e tão luminoso
Ave solta no céu matinal da montanha
Nem é tua ciência
Do coração dos homens e das coisas
O que eu adoro em ti
Não é a tua graça musical
Sucessiva e renovada a cada momento
Graça aérea como teu próprio momento
Graça que perturba e que satisfaz
O que eu adoro em ti
Não é a mãe que já perdi
E nem meu pai
O que eu adoro em tua natureza
Não é o profundo instinto matinal
Em teu flanco aberto como uma ferida
Nem a tua pureza. Nem a tua impureza
O que adoro em ti lastima-me e consola-me
O que eu adoro em ti é a vida!

Manuel Bandeira

6 comentários:

Henrique Rodrigues Soares disse...

Meu caro Eduardo passando em teu mundo mágico para te deixar um abraço.
Sds.

Sonia Schmorantz disse...

Que escolha mais linda para o último dia de carnaval, muito doce!
Beijo, te amo

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Ah, a VIDA!
A razão do maor maior!
Cantar a vida, sempre!

Lindas fotos!

=)

Victor Gil disse...

Amigo Eduardo.
Para alem de vir apreciar as sempre belas fotos e bonitas palavras que escolhas, venho também desejar um bom Carnaval. Por aqui chove a cai neve, não dá balançar muito.
Um abraço
Victor Gil

valvesta disse...

Bom finzinho de feriado e um rentinho de semana bem disposto.
lindas suas fotos,seu mar.
Um amor com admiração,respeito e companherismos,perfeito! assim deve-se amar.
um abraço.

valvesta disse...

Bom finzinho de feriado e um rentinho de semana bem disposto.
lindas suas fotos,seu mar.
Um amor com admiração,respeito e companherismos,perfeito! assim deve-se amar.
um abraço.