terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Orvalhadas de S. João...


Com o corpo orvalhado de desejo
caminho pelo coração das letras.

Avanço pelo nevoeiro das recordações de ontem,
que hoje não passam disso… recordações…

As mãos cautelosas… os dedos lacerados… os olhos ávidos…
Teu alento está de novo longe e distante...

Procuro encontrar em versos
onde pode ter ido parar aquela madrugada…

Regressam ao meu corpo pérolas de humidade
as mesmas que me presenteavas
no húmido calor dos teus beijos...

Posso apagá-los… posso rasgar páginas… não importa!
Essas páginas estão escritas
no desejo entre o teu corpo e o meu...

http://a-papoila.blogspot.com

3 comentários:

Cris Animal disse...

Nossa, senti a sua saudade e a sua vontade de reviver!
Estranhamente alguns momentos são tão intensos e vividos com tamanha liberdade de nós mesmos que recordá-los é quase como tocar de novo, sentir novamente....estar lá. Ainda que sozinho desta vez.
Lindo.
beijo................Cris Animal

Tatiana disse...

A saudade quando aflora toma os sentidos, fazendo versejar de forma tão bela assim...

Apreciei muito estar aqui lendo algo tão puro!

Abraço carinhoso

Izinha disse...

lindo poema, parabéns...gostei daqui.

bjos e ótima noite!