quarta-feira, 1 de abril de 2009

De repente


De repente
Tudo pinta
Uma loucura natural
Um tipo de sonho
que não acaba
Um tipo de frio
que não pede agasalho
De repente
o corpo balança
as mãos tremem
e o coração acelera
de repente e
nem tão de repente
solto sem querer
palavras que soam
como badaladas
de um sino
de repente
te amo
e de repente
sou teu.

Arthur

10 comentários:

Dois Rios disse...

Lindo poema. De fato o amor é uma sucessão de repentes.

Beijos,
Inês

Conceição Duarte disse...

...........é a pura verdade!
Como se fosse mágica, tudo muda!
Um beijo e obrigada por sempre deixar suas lindas palavras para que eu reflita a vida.
bjs, con

Xana disse...

De repente a gente se embala nestes poemas que escolhes e tudo fica mais belo e sereno :)
obrigado amigo , beijos

Naila disse...

De repente uma linda declaração de amor.

Deliciosa quarta-feira amigo.
Bjusss

Marta Vasil disse...

Há coisas muito imprevisíveis, como é o amor. Chega, às vezes, tão de repente que nem damos pela sua chegada.

Beijinho

Jana disse...

Ah o amor!!!
Sempre chegando de repente e trazendo surpresas.

Belo blog.
Bjs

Agulheta disse...

Fica nos olhos a beleza da foto em sintonia de palavras...de amor.
Beijinho

Isa disse...

Esse grande Mago que é o Amor.
Beijo.
isa.

Silvia Masc disse...

Delicia entrar aqui e ler os poemas, deliciando-me também com as fotos... boa noite.

beijo

Erica Maria disse...

Estou linkada com meu outro blog, mas vim aqui assim mesmo!

Lindo poema!

Fotos lindas!

Resultado?

Uma alma maravilhada!

Bjos no coração!