quinta-feira, 30 de abril de 2009


Quando já nada é intacto
quando tudo na vida vem em pedaços
e por dentro me rebenta um mar
quando a cidade alucina
num luar de néon e de neblina
e me esqueço de sonhar

Quando há qualquer coisa que nos sufoca
e os dias são iguais a outros dias
e por dentro o tempo é tão voraz
Quando de repente num segundo
qualquer coisa me vira do avesso
e desfaz cada certeza do meu mundo

Quando o sopro de uma jura
Faz balançar os dias
Quando os sonhos contaminam
Os medos e os cansaços
quando ainda me desarma
a tua companhia
e tudo o que a vida faz
Em mim

Quando o dia recomeça
e a noite ainda te prende nos seus braços
e por dentro te rebenta um mar

Quando a cidade te esconde
e o silêncio é o fundo das palavras
Que te esqueces de gritar

Mafalda Veiga

15 comentários:

Cleo disse...

Não esqueças de sonhar nunca.
Beijos com carinho, bom feriado.
Cleo

Eu disse...

Mafalda Veiga... lindo né? Parabéns pela escolha, como sempre valeu!
Um lindo feriado para você amigo!
Beijos
Elida

RaH disse...

Nossa eu nem conhecia Mafalda Veiga
linda escolha traduz um estado de espirito q acho q todos jah passamos
beijos
=****

Jey disse...

Que lindo. :}

Adrisol disse...

me encanta tu espacio, lleno de bellas imágenes que acompañan tus escritos..
felicitaciones!!!!!!!!!
un abrazo y buen fin de semana

Sonia Schmorantz disse...

Mafalda Veiga está sempre na minha lista de excelentes poemas, este é um dos muito bons.
beijos
te amo

Efigênia Coutinho disse...

EDUARDO POISL
Eu tenho certeza, você é um ser carismático, basta chegar aqui e a gente se sente leve,livre, e com muita Paz interior.

Sem falar na boa escolha dos poemas que você vem postando,
resta-me agradecer a sua visita,
Efigênia Coutinho

Pena disse...

Talentoso Amigo:
Como alguém pode tratar a poesia tão fabulosamente.
Excelente escolha.
Melhores dias virão. A eterna insatisfação do poeta em busca de si próprio.
Abraço de amizade e respeito.
ADMIRÁVEL!

pena

OBRIGADO pela simpatia no meu blog.
OBRIGADO sentido.
Bem-Haja, amigo gigante.

Otário disse...

Mafalda Veiga.
Muito bem escrito.

Por vezes, ao ler, apercebemo-nos melhor de certas passagens. Esta letra nunca a ouvi cantada.

Gostei!

Flor de Lótus disse...

Bom dia!
Depois de cada verso
Sinto-me nua.
Tiro a roupa. Toda.
Despeta-lo-me. Fico ôca.

E no corpo suado,
Recompondo-se,
A tristeza da liberdade.
A dualidade do ser.

Não importa tirar a roupa.
Não mesmo!
O que quero é ser como a lua
Iluminar - não importa o que!

E no silêncio que me invade
Após cada verso,
Sobra em mim
O fogo que queima,
A água. A cascata.
Prazer. Dor.
O rubro calor do sol no
Gelo do deserto.

No claro e escuro
Da noite e do dia.
Das horas em segundos
Que dá perfume a flor.
Dualidade que se perpetua
No instante do amor
Ficando apenas a eternidade
Do silêncio!
Um
MARAVILHOSO FIM DE SEMANA.

neide disse...

Lindo poema Eduardo.
Sempre fazendo belas escolhas.

Tenha um feriado incrível e um final de semana maravilhoso.

Bjss

Avassaladora disse...

"Quando de repente num segundo
qualquer coisa me vira do avesso"

Eduardo, que lindo poema escolheste!
Uma frase marcante...


Obrigada por seu carinho, sempre!

Beijos e um ótimo fim de semana!

Luiz Caio disse...

Olá Eduardo! Como vai?

Obrigado pela gentil visita!

TENHA VOCÊ TAMBÉM UM ÓTMO FERIADO!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Eduardo.

Achei linda essa poesia. É ótimo vir aqui e ler estas maravilhas que você escolhe tão bem.

E as suas poesias? Vai nos agraciar com mais alguma? Espero que sim... :-)

*******

O fracasso jamais o surpreenderá se
sua decisão de vencer for
suficientemente forte.


DESCANSE BEM NO DIA DO TRABALHO!

♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥



http://brincandocomarte.blogspot.com/

___________________________________

©tossan disse...

Gostei da tua escolha, poema lindíssimo! Bons ventos neste fim de semana prolongado nessaa linda ilha. Abraço