sábado, 2 de maio de 2009

As velas da Memória-Tempo


Há nos silvos que as manhãs me trazem
chaminés que se desmoronam:
são a infância e a praia os sonhos de partida
Abrir esse portão junto ao vento que a vida
aquém ou além desta me abre?
Em que outro mundo ouvi o rouxinol
tão leve que o vôo lhe aumentava as asas?
Onde adiava ele a morte contra os dias
essa primeira morte?
Vinham núpcias sem conto na inconcebível voz
Que plenitude aquela: cantar
como quem não tivesse nenhum pensamento.
Quem me deixou de novo aqui sentado à sombra
deste mês de junho? Como te chamas tu
que me enfunas as velas da memória ventilando: «aquela vez...»?
Quando aonde foi em que país?
Que vento faz quebrar nas costas destes dias
as ondas de uma antiga música que ouvida
obriga a recuar a noite prometida
em círculos quebrados para além das dunas
fazendo regressar rebanhos de alegrias
abrindo em plena tarde um espaço ao amor?
Que morte vem matar a lábil curva da dor?
Que dor me faz doer de não ter mais que morrer?
E ouve-se o silêncio descer pelas vertentes da tarde
chegar à boca da noite e responder

Ruy Belo

22 comentários:

Carmem disse...

Belas palavras...Lindo este poema!

Abraço amigo! Obrigada pelas visitas!

Bom final de semana!

Bandys disse...

"E ouve-se o silêncio descer pelas vertentes da tarde chegar à boca da noite e responder"

Lindo poeta.

Beijos

A Flor do Sul disse...

Um portão aberto pode conduzir a tnto caminhos, que, quando se o está abrindo, nem se pode fazer idéia das coisas que advirão deste ato então tão pequeno...
Um abraço.

A Flor do Sul disse...

Um portão aberto pode conduzir a tnto caminhos, que, quando se o está abrindo, nem se pode fazer idéia das coisas que advirão deste ato então tão pequeno...
Um abraço.

A Flor do Sul disse...

Ops,foi demais...

Agulheta disse...

Eduardo. O abrir dos portões,nos leva a caminhos intemporais,fraternos,de amor e por vezes nostalgia.
Beijinho bfs

Agradeço os poeminhas sempre tão belos e bonitos,nos comentários...obrigado amigo.

ausenda disse...

Eduardo

Ruy Belo é um poeta genial, faboloso! Adoro-o!

Obrigado por o trazeres aqui!

Beijo

Nade disse...

Que presente de poema e de imagem!
Se estou sem inspiração, é só vir aqui que todas as ideias maravilhosas vêm até mim. Seus poemas, suas escolhas são demais inspiradores!
E obrigada pelo carinho de sempre no Orgulho de Ser, viu!
Você e a Sonia são um casal nota 10!
Bj grande e um excelente fim de semana!

Sidney Ramos disse...

Os sonhos que abram os portões de nossas vidas para a poesia e que além desta nos mostre a leveza para a felicidade.
Muito obrigado, muito feliz por você ter ido me visitar.
Meu melhor sonho ficou maior ainda.

O mar me encanta completamente... disse...

O seu estilo inconfundível
de encadear imagens sempre tão emocionante...
Parabens!!!

Meu carinho sempre.

José Carlos Brandão disse...

Voltando à ativa, passo por aqui para lhe deixar o meu abraço amigo.
Muito bom o poema do Ruy Belo.

Sandra disse...

Venha buscar seu selinho de seguidor em seu curiosa.Ele é seu.
Sandra

Conto com seu voto no dia 04.05.09
em topblog. no blog, coletivo.
Endereço: http://sandraandrade7.blogspot.com

Luísa disse...

Como sempre, EXCELENTE escolha!
A imagem? Fabulosa!
Que combinação deliciosa!Obrigada!

Beijinho terno!

Multiolhares disse...

A imagem esta muito bonita e as palavras a completam
beijos

Marta Vasil disse...

Ruy Belo, grande poeta e grande escolha a sua.

Uma semana de muita harmonia

Beijinhos

MV

Adrisol disse...

abrir esos portones nos llevan a la nostalgia.....
felicitaciones por estos lindos versos.

besos y buena semana

Rui Caetano disse...

Um poema envolvente e muito interessante.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...el nudo de la vida todo lo enlaza...un fuerte abrazo tu amigo jose ramon en el alma.

Meg disse...

De Ruy Belo sou uma admiradora e leitora incondicional e este é só um dos muito belos poemas que nos deixou.

Um abraço

Angela Guedes disse...

Olá Eduardo!!!
Tem um selo para você lá no meu blog, fique a vontade para aceitá-lo ou não, e mais uma vez, obrigada pelos comentários.
Abraços.
Ângela

Lia disse...

Eduardo,
obrigada pelas visitas,pelos belos poemas que deixas no meu cantinho,pelas doces palavras,pela bela imagem que nos ofereces,e por tão belo poema ,e por todo o carinho!;0)Deixo-te um raio de sol (enviado do lado de cá)*B-e-i-j-o.

Nanda Assis disse...

que gostoso desta imagem!!! da uma paz...

bjosss...