quarta-feira, 5 de agosto de 2009

O VENTO


O vento é hóspede constante
maior viajante
que por aqui passa...
quando chega
me abraça
se sente em casa
repousa suas asas cansadas
sobre meu corpo em brasa...
Minha casa
não tem divisórias
todos os cantos
contam histórias
de amores para mim...

Minha casa é assim
janelas abertas
sem vidraças
portas escancaradas
para meu vôo sem fim

Cida Sousa
Imagens Ribeirão da Ilha

8 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Como ficaram bonitas estas imagens com este poema!
Obrigado amor, por todas as queridas surpresas nesse dia especial para mim.
te amo muito
beijo

Nanda Assis disse...

delicias de imagens. e este poema que amor.

bjosss...

CelyLua - O blog das Letras disse...

Amigo Eduardo, bom dia!
Saudades literárias, rsrsrs.

Ler você é sempre encanto aos olhos do meu espírito.
As fotos e este poema estar deslumbrante.
Uma nobre declaração de amor eterno!
Adorei, parabéns!
Deus abençoe você, e sua eterna Sônia, a qual eu também tenho muito apreço e carinho e a todos os seus familiares.
Beijos de paz e poesias.
Com ternura,
CelyLua, Amiga e fã da sua brilhante inspiração...

Muito obrigada!

gaivota disse...

boas fotos... mas o vento, por vezes, é mau companheiro...
beijinhos

RETIRO do ÉDEN disse...

Amigo,

Sei que o vento leva e trás...é uma energia perturbada que serve de veículo a todas as patologias.

Não me sinto bem com o vento.Fico deprimida...sinto-me amedrontada.

Não obstante ter gostado muito, muito, dessas palavras ao vento. Muito bem conseguido.
As fotos estão divinais...essas casas esse conjunto de cores...mas que beleza...
Parabéns pelo post.
Abraço
Mer

MEUS PENSAMENTOS disse...

lindo poema com lindas imagens,parabéns eduardo!

Dois Rios disse...

"Minha casa é assim
janelas abertas
sem vidraças
portas escancaradas
para meu vôo sem fim."

Lindo demais!

As imagens são um capítulo à parte. São de Floripa? Beleza sem fim!

Beijos,
Inês

Marta Vasil disse...

Apenas de passagem para desejar aos meus amigos um óptimo fim de semana.

beijinho