terça-feira, 11 de agosto de 2009

OUTONO



Talvez nunca a ternura fosse tanta
como entre os montes amadurecidos
e quando as casas se elevam
entre o ouro e o fumo da tarde.
Silêncio que parece vir do lento
passado,
vozes que se dão em resignada melancolia
e tomam a forma dos frutos,
vinho e sombra que apagam o mar
nas árvores
onde não tardará o abandono,
memória do que somos.
Repousam sobre a noite os grous
enquanto as cidades crescem à nossa volta
contra o sul vencido.
Vento, ramo e sombra que caem
sobre as janelas ardentes:
lá onde a púrpura se reclina
sobre a água e a beleza
a verdade começa a surgir da espuma.

(Poema de Henrique Dória)

24 comentários:

Angela Guedes disse...

Oi Eduardo!!!
É sempre um prazer vir aqui e ler seus post, tudo aqui é lindo!
Um grande abraço, amigo.
Ângela

Sonia Schmorantz disse...

Ficaram lindas estas imagens da minha praia...
O poema eu conheço e acho lindo também!
beijo com amor

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

En este tiempo eduardo
para descansar,
amar, sentir y vivir
todas las sensaciones
que den paz,
sosiego y
tranquildad a nuestro corazon.
Desde mis HORAS ROTAS,
y AULA DE PAZ
un afectuoso abrazo y
cariño compartido
siempre desde el alma
saludos
de amistad:
---Jose Ramon---

a magia da noite disse...

o tempo maduro, a sede do cansaço, o frio que vem e nos aconchega, é Outono em nossa alma.

Rach disse...

que lindas imagens! e o poema...como sempre, fantástico :)
um beijinho e uma boa semana

*** Cris *** disse...

Olá,tdbem?
EStou passando por aqui para deixar-lhe um grande abraço e agradecer seu carinho de sempre no meu blog.
Bjs!

Isamar disse...

Tenho uma verdadeira paixão pelo mar e pela poesia também.
Bem-hajas por me teres oferecido ambos num blogue que é muito bonito.

Beijinhos

Everson Russo disse...

Belissimo, sensivel, sutil poema, e maravilhosas imagens...forte abraço amigo tenha um belo dia...

©tossan disse...

Quero ignorado, e calmo
Por ignorado, e próprio
Por calmo, encher meus dias
De não querer mais deles.
Aos que a riqueza toca
O ouro irrita a pele.
Aos que a fama bafeja
Embacia-se a vida.
Aos que a felicidade
É sol, virá a noite.
Mas ao que nada espera
Tudo que vem é grato.

Fernando Pessoa

Sempre com belas fotos da Ilha!
Abraço

angel disse...

Sempre lindas as fotos, sempre belas as poesias e sempre romantica as músicas. Até parece um pedacinho do céu seu espaço. Vim agradecer o poema de Fernando Sabino que deixou no meu blog. Há tempos que estava procurando por ele, mas não sabia o nome, apenas me lembrava de sua essência. Acho ele perfeito. Nada é nosso de fato, devemos aproveitar o que temos sem nos preocupar com o ontem nem com o amanhã pois nada levaremos.
Grande abraço e ótima semana pra você.
Angel

Ana Lúcia Porto disse...

Obrigada pelo cartão de visitas que deixou prá mim. Falo de suas poesias que marcam a passagem nos comentários que deixa.

Adoro mar, praia...
Ternura de poesia, essa...

Beijos,
Ana Lúcia.

Ana Lúcia Porto disse...

Obrigada pelo cartão de visitas que deixou prá mim. Falo de suas poesias que marcam a passagem nos comentários que deixa.

Adoro mar, praia...
Ternura de poesia, essa...

Beijos,
Ana Lúcia.

Ana Lúcia Porto disse...

Obrigada pelo cartão de visitas que deixou prá mim. Falo de suas poesias que marcam a passagem nos comentários que deixa.

Adoro mar, praia...
Ternura de poesia, essa...

Beijos,
Ana Lúcia.

Ana Lúcia Porto disse...

Obrigada pelo cartão de visitas que deixou prá mim. Falo de suas poesias que marcam a passagem nos comentários que deixa.

Adoro mar, praia...
Ternura de poesia, essa...

Beijos,
Ana Lúcia.

Bandys disse...

Eduardo,

Tudo lindo!!

"Se pudesse deixar algum presente a você
deixaria aceso o sentimento de amar
a vida dos seres humanos
A consciência de aprender tudo
o que foi ensinado pelo tempo afora
Lembraria os erros que foram cometidos
para que não mais se repetissem
A capacidade de escolher novos rumos
Deixaria para você se pudesse
o respeito àquilo que é indispensável
Alem do pão o trabalho
Além do trabalho ação
E, quando tudo mais faltasse um segredo
o de buscar no interior de si mesmo
a resposta e a força para encontrar a saída"
[Gandhi]

Beijos

Layara disse...

Bela escolha, Poeta
Assim é...a recordação do passado tão presente em nossos dias...
e a incerteza de virar a esquina...
Lindas imagens.

Boa tarde nesses dias de agosto!
Muita Luz!

Mundo Animal. disse...

../’´’´’\
.//^ ^\\
(/(_♥_)\)_______¡HoLa!
._/”*”\_
(/_)^(_\)

QUE TERMINES BIEN EL DIA. SALUDOS CHRISTIANNN

Marcinha disse...

Olá querido Eduardo

Simplesmente quero agradecer pelas poesias, por que estás sempre nos dando momentos de profunda relexão e emoção ao acompanhar teu blog ...
bjos no coração!!!

neide disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
neide disse...

Eduardo, que belo poema. Ótima escolha e as fotos estão lindas. O lugar é lindo! Amo praia.

boa noite e tenha uma ótima quinta-feira.

Bjsss

AFRICA EM POESIA disse...

Eduardo

Obrigada pelo poema...
Mastiguei as palavras ...uma a uma...


beijos

Andresa disse...

Eduardo
ME encanta suas palavras, que num contesto exala um lindo amor.
As imagens desses lugares lindos, só me traz por um momento a paz da tranquilidade.
Nesse momento, me desligo da correria do dia a dia.

Um grande abraço
Andresa Araujo

Ana Maria disse...

Poema lindo na praia.
Muitos beijos!

♥ ♥ Rabiscando disse...

Lindo poema, uma combinação perfeita com as fotos.

beijos de boa noite prá vc!