terça-feira, 29 de setembro de 2009

O POÇO

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Cais, às vezes, afundas
em teu fosso de silêncio,
em teu abismo de orgulhosa cólera,
e mal consegues
voltar, trazendo restos
do que achaste
pelas profunduras da tua existência.

Meu amor, o que encontras
em teu poço fechado?
Algas, pântanos, rochas?
O que vês, de olhos cegos,
rancorosa e ferida?

Não acharás, amor,
no poço em que cais
o que na altura guardo para ti:
um ramo de jasmins todo orvalhado,
um beijo mais profundo que esse abismo.

Não me temas, não caias
de novo em teu rancor.
Sacode a minha palavra que te veio ferir
e deixa que ela voe pela janela aberta.
Ela voltará a ferir-me
sem que tu a dirijas,
porque foi carregada com um instante duro
e esse instante será desarmado em meu peito.

Radiosa me sorri
se minha boca fere.
Não sou um pastor doce
como em contos de fadas,
mas um lenhador que comparte contigo
terras, vento e espinhos das montanhas.

Dá-me amor, me sorri
e me ajuda a ser bom.
Não te firas em mim, seria inútil,
não me firas a mim porque te feres.

Pablo Neruda

11 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Me deixou a pensar...algo especial é este poema, muito bom! talvez ele queira dizer que até quem ama fere, por vezes, mesmo não querendo...
beijos, te amo

Daniel Costa disse...

Eduardo

A poesia de Pablo Neruda é dor demais profunda, é garantia certa de uma boa opção.
"Não te firas em mim porque te feres"!...
Abraço,
Daniel

Unseen Rajasthan disse...

BEautiful shots and lovely words !! Great post !! Thanks for sharing..Unseen Rajasthan

Eliana disse...

BOM DIA, Eduardo

Lindíssimo!

Um abençoado dia para vocês,
Fiquem com Deus,

Val Du disse...

Eduardo

Palavras fortes.

Imagens belas. Presença d' água na Lagoa da Conceição, que riqueza.

Abraços.

Fernanda disse...

Amigo Eduardo,

Ha tempo que não o visitava...já tinha sausade dos seus belos poemas.

Este de Pablo Neruda é para ler e reler, quantos de nós não nos ferimos reciprocamente e inutilmente.

Lindo demais.

Beijo
Fernanda (Ná) (Sempre Jovens)

Agulheta disse...

Eduardo!Sou admiradora de Neruda,e adoro os seus poemas,as fotos muito linda para embelezar este espaço.
Beijinhos

Luísa disse...

Neruda!!!!!!!!!!!!!!!!!
Extremo bom gosto!
Beijinho terno!

Carmem L Vilanova disse...

Seria o paraíso? :o)
Lindas fotos!

direitinho disse...

Os poemas de Neruda são muito belos e esta parte final é a pureza do seu pensament:
«Não me firas porque te feres»

LOURO disse...

Amigo Eduardo,

Pablo Neruda boa escolha!!!
Parabéns!!! lindas fotos...

Abraço
Lourenço