quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

"A CORRENTE"

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Lá vão as folhas secas na corrente...
Lá vão as folhas soltas das ramadas...
Hastes envelhecidas e quebradas
galgando as asperezas da vertente.

A cheia arrasa os frutos e a semente,
a terra inculta, as várzeas fecundadas,
e vai perder-se ao longe, nas quebradas,
numa fúria cruel e inconsciente.

Em nós ainda é mais funda, ainda é mais vasta,
esta ansiedade enorme e sem perdão,
que nos fere, nos tolhe e nos devasta...

As árvores desprendem-se e lá vão...
Mas nós ficamos porque nada arrasta
as raízes fiéis dum coração.

Fernanda de Castro

9 comentários:

Victor Gil disse...

Amigo Eduardo.
Lindo soneto para acompanhar as sempre tuas extraordinárias fotos.
Um abraço e um bom dia
Victor Gil

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Com certeza as raízes do coração nada pode arrancar.Soneto lindo da Fernanda e imagens perfeitas.Um abraço

Graça Pereira disse...

"Nada arrasta as raízes fiéis dum coração"... Tinha de ser Fernanda de Castro!! Belos os seus poemas e como ficam bem com as suas fotos maravilhosas!! Um bom fim de semana e um beijo
Graça

Everson Russo disse...

E lá se vai a vida meu amigo, que nos escorre feito agua pelos dedos...abraços e um belo dia pra ti.

Fernanda disse...

Amigo Eduardo,

Quando o amor é forte ele resiste a tudo...

Um abraço amigo,
Fernanda Ferreira

Carmem L Vilanova disse...

Amigo Eduardo!
Venho agradecer-te o carinho e a ternura demonstrada pela passagem do meu aniversário!
Foi realmente um dia feliz, principalmente por poder contar com tua amizade!
Beijos, flores e meus eternos sorrisos!

Agulheta disse...

Eduardo.
As raízes de amor e de coração,nada as pode tirar,as das árvores,por vezes as cortam.As fotos a condizerem com as palavras.
Beijinhos
Lisa

ONG ALERTA disse...

Nós ficamos para terminar a nossa história por aqui e tentar fazer as pessoas mudarem, paz.

Ana Martins disse...

Lindo!!!!!

Beijinhos e votos de um bom fim de semana,
Ana Martins