domingo, 31 de janeiro de 2010

A ONDA DO MAR

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Caminho dentro da praia
uma onda beija o meu corpo
então estremeço-me todo
a onda levanta sua saia
tão branca e feita de espuma
me oferta um gemido de sal
cego de amor enlouqueço
a brisa me sopra um sinal
de repente na tarde marinha
a onda verde caminha
sem que eu a possa apanhar
tão tolo pensei fosse minha
não lembrei que o seu dono é o mar

júlio

18 comentários:

direitinho disse...

Poema muito leve como são leves os movimentos das ondas do mar.
Molhados na água fria sentimos que nada podemos reter. São sensações do momento

Sonia Schmorantz disse...

Linda postagem, poema feito onda, poema feito mar, como as imagens de hoje, estão lindas.
beijo, te amo

MARIA L. BÓZOLI disse...

Te ofereço o mimo Brasil "História Viva" com carinho.
Leve o amigo..........Beijossssssss

Pena disse...

Notável e Admirável Poeta Amigo:
Tem uma sensibilidade genial.
Perfeita numa pessoa fantástica.
"...a onda levanta sua saia
tão branca e feita de espuma
me oferta um gemido de sal
cego de amor enlouqueço
a brisa me sopra um sinal
de repente na tarde marinha
a onda verde caminha
sem que eu a possa apanhar..."

Extraordinário.
Bem-Haja, amigo, pela pureza e beleza imensas do versejar lindo.
Abraço amigo de estima.
Sempre a admirá-lo e a respeitá-lo

pena

Bem-Haja, amigo.
Adorei.
Vale ouro puro, a sua deslumbrante poesia fantástica.
É um sensível Poeta fabuloso.

RETIRO do ÉDEN disse...

Bom poema, boas fotos.
Desejamos uma excelente semana
Fiquemos com Deus.
Forte abraço
Mer

Olhar o mar disse...

Olá Eduardo,

Continuam as fotos espectaculares levadas ao colos dos poemas.

Passei para lhe desejar a vc e familia uma optima semana.

Lhe envio uma onda grande de amizade deste outro lado do oceano.
olharomar

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Eu AMO essas fotos que voce e Sonia tiram do bater exato da onda na pedra!

Ficaram show!

Layara disse...

uauu...que poema gostoso de ler, tem uma sinestesia, parece que estamos envoltos nessa onda do -a-mar...

excelente semana pra vc.

HSLO disse...

Essa força do mar é que me deixa louco, sou apaixonado pelo mar.


abraços




Hugo

RaSena disse...

Eduardo,
boa semana junto ao fascínio do mar.
abraços,

FOTOS-SUSY disse...

OLA EDUARDO, MAGNIFICA POSTAGEM...AS FOTOS ESTAO ENCANTADORAS...ADOREI...VOTOS DE UMA EXCELENTE SEMANA!!!
BEIJOS COM AMIZADE,


SUSY

R.Ferrari disse...

Belo poema e lindas fotos deste mar "mar avilhoso". Abraços e uma boa semana junto aos seus familiares.

Martinha disse...

Adorei! :) A onda como elemento de comunicacao. :D
Beijinho *

MEUS PENSAMENTOS disse...

poema belissimo .
vim desejar,um bom começo de semana!

Anne Rice disse...

LINDISSIMO!!!


ADORO ESTES POEMAAS! :D

Lucimar Sant`Ana disse...

Que delicia!!!
O poema é belíssimo, e estas fotos sem comentário. Maravilhosas!!!
Uma ótima semana>

Beijos.

Lucimar

O mar me encanta completamente... disse...

Olha quem chegou Eduardo ...
Senti saudades...
Essas semanas tiveram muito mar, muita caminhada.
Muito sal e céu, não defino qual dos dois é mais intenso, mas quero continuamente estar entre eles.
Com perdas e danos...
Porem com lembranças doces e conhecimentos grandiosos.
Fiquei sozinha, por opção, quis (re) pensar momentos da vida,
Planejar outros...
Voltei...
Inaugurando-me singular, com forças de oferecer ao meu amanhã,
Uma “edição repaginada” de mim mesma.
Voltei...
E hoje não para comentar, mas para agradecer.
Obrigada pela presença constante e esperada em meu cantinho.
E dizer que é agradável estar aqui, passeando por suas letras.
Você é imprescindível, e sabe disso.
Muito mais que parceria virtual, é item que me cabe.
Então, com todo meu carinho, com toda veracidade, com toda vontade, desejo q esta semana que quase acaba tenha sido como voce planejou, e que a nova semana, que chega logo, seja só o começo
do melhor que você ainda irá viver..

Glória

Olhar o mar disse...

Olá Eduardo
Uma boa semana pc vc e familia e continue nos oferecendo suas fotos e seus poemas.
uma onda de amizade deste outro lado do mar seguirá sempre que a poesia surgir
olharomar