terça-feira, 9 de março de 2010

AS DUAS FLORES

Clique nas fotos para ver no tamanho real


São duas flores unidas,
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol,
Vivendo no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.

Unidas, bem como as penas
Das duas asas pequenas
De um passarinho do céu...
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.

Unidas, bom como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar...
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.

Unidas... Ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rodas da vida,
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor!

(Castro Alves)

14 comentários:

Lou a esquizoffrenica disse...

Lindo este poema de castro Alves e como todas as tuas postagens com fotografias fantásticas, um óptima dia para todos por aí

tossan disse...

Castro Alves? Quanto tempo não via nada pelos blogs que visito é muito simples e linda!
Meu amigo, tu não deves nada pra aquele metido do tal de tossan...eheheheh....Bah tche....
Como está a minha praia da Barra? Gostei muito dessa praia é a minha cara. Saudade da Lagoa e de vocês.
Abração

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Castro Alves anda sumido da blogosfera.
Uma pena. São obras primorosas como essas que nos fazem sorrir.
Beijo

Malu disse...

Que bom acordar e vir por aqui logo de cara achar Castro Alves...
Tenha um bom dia, meu querido amigo

Marina-Emer disse...

Eduardo tienes una familia muy hermosa...tu madre ...tus hijas ...tu nieta todos muy guapos y bueno tú tambien,
BESOS
Marina

Agulheta disse...

Amigo Eduardo! Mais um poeta de coração que gosto,e ainda bem que partilhas as palavras.As fotos magníficas como sempre.
Beijo no teu coração Lisa

Ana Lúcia Porto disse...

Um poema muito gracioso...!!
Beijos e bom final de semana...

Mariazita disse...

É muito linda a poesia de Castro Alves. E este poema não foge à regra.
Lindíssimas também as fotos.
Com água e aves...

Uma boa semana.

Beijinhos
Mariazita

Daniel Costa disse...

Eduarda

O poema de Castro Alves, define bem a sublimação de todos os seus escritos. Creio que estou a falar de Castro Alves que foi embaixador do Brasil, em Portugal. Curiosamente aparecia colaboração dele de prosa, no jornal onde escrevo, sempre lia. Porém nunca aparecen poesia e confesso ter sido a primeira vez que tive o prazer de a contactar.
Um abraço,
Daniel

Maria disse...

Lindo poema, excelentes fotografias.
bjs
Maria

Sonhadora disse...

Eduardo
Adoro este poema, de uma beleza incomparável.

São duas flores unidas,
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol,
Vivendo no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.

Lindo

beijinhos
Sonhadora

Layara disse...

olá Eduardo!

passando para apreciar essas lindas imagens e dizer que as letrass azuis desse poemar são lindas.

besos!

R.Ferrari disse...

Lindissima a foto do primeiro passaro.

Sônia Silvino disse...

Oi, queriiido!
O que dizer de Castro Alves??? Simplesmente encantador! Como os teus blogs!
Bjkas, meu amigo!
Ah... mesmo sendo repetitiva: lindas fotos!