terça-feira, 29 de junho de 2010

O MAR

Ouvi os segredos do mar
Chorados gemidos de dor
Baladas, sorrisos de amor
Que na areia se vinham deitar
E muito devagarinho
As rochas vinham lavar.


O mar chamava por mim
Num canto de embalar
Nem sei se o canto era canto
Se era o mar a chorar
Ou se era eu que de espanto
Já via um mar sem ter fim


O mar balança na ondas
Fazendo um longo queixume
As águas formam correntes
E os peixes fazem cardume
E todos passamos a vida
Tão tristes como contentes
 
Luíscoelho
http://luisrcoelhohotmailcom.blogspot.com/ 
 

6 comentários:

tossan® disse...

É por isso que você está nesse estágio formidável para fotografar o mar implora por ti. Abração amigão

Luís Coelho disse...

Amigo Eduardo
Você me deixa desconsertado, com estes mimos e carinhos.
Dar-e a conhecer aos seus muitos amigos e seguidores do seu blogue.
Cada dia que releio este poema parece encontrar novas imagens.
Depois vendo a qualidade de poetas que diariamente nos apresenta sinto-me envaidecido e ao mesmo tempo infinitamente pequenino.
Aceita o meu abraço de amizade plena esperando que os leitores gostem do que escrevo.
Luíscoelho

Arnalda Rabelo disse...

Bom Dia Eduardo!

Que a graça das flores, do sol,o sabor do vento inunde todos os seus dias com uma alegria inconfundível.

Terno abraço

Arnalda Rabelo

RETIRO do ÉDEN disse...

Estas fotos estão com uma tonalidade e sensibilidade que nem tenho palavras para descrever...mas o poema escolhido diz tudo... o que não consigo passar à escrita.
Forte abraço
Mer

R.Ferrari disse...

Meu blog está completando um ano de existência.
Agradecemos suas visitas. Você faz parte da vida deste blog.
R. Ferrari

Alexandre Veras disse...

Olá querido amigo, tudo bem com vc?
Obrigado por suas palavras poéticas. Estou tendo uma ótima semana e desejo o mesmo a vc. Felicidades pra vc e família.