terça-feira, 7 de dezembro de 2010

" PROMESSAS "


Espalham-se pela areia
promessas de amor feitas
ao murmurio das ondas
transformadas em ecos

levadas pelo vento
como as gaivotas
que planam beira mar
água bate nas pedras

tocando leve meu rosto
lavam lágrimas de saudades
uma onda azul balança
na linha do horizonte

poente onde o sol se esconde
a primeira estrela apareceu
a que minha promessa ouviu

ela testemunha de tantas juras
ouviu também na noite escura
o que dissestes e depois partiu

Antonio Campos 07/12/10. 

3 comentários:

tossan® disse...

Oi Eduardo, fotos magníficas principalmente a primeira.
Ando meio baleado mas logo melhoro.
Abraço

Sei que em aguas turvas vou navegar,
na vida não tem só aguas calmas
só aguas cristalinas, tem aguas sujas barrentas que temos que atravessar.

Eduardo Poisl

Sotnas disse...

Olá Eduardo, espero que tudo esteja bem contigo!
Lindas imagens, e não menos belo o poema, que expressa sentimentos de maneira sensível e humana! Tem bom gosto! Desejo que tudo de bom sempre esteja para você e todos ao redor sempre! Agradeço pelas visitas abraços e até mais!

Carmo disse...

Olá Eduardo, promessas que são testemunhadas pela areia macia e pelo murmurio das ondas.
Promessas que o vai vem das ondas não deixam esquecer.

Um abraço e bom fim de semana