segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

“Vem em mim”


O que prevalece
Quando penso em você?
Mau bem-querer voa
E o seu silêncio me profana... A boca

Meus devaneios surdos
Vão despindo você
E eu me pergunto à toa
Raiará o dia de beija-lhe... A boca?

Um beijo mais sereno
Me bebendo, lábio e mel
Como fora um vinho bom
Um Castillo, um Lurton?

Um beijo mais faminto
Me lanhando corpo e fel
Como fora um pescador
Solitário e ceifador

Que coisa louca, vem em mim
Guardar você assim
Eu quase vivo da magia
Meu faro caça algum sinal... Da sua boca

Minha alma prega a solidão
Pastora minhas mãos
E me arreda do afã
Do sonho de amanhecer... Em sua boca

Glória Salles e Abel Puro

4 comentários:

JOCENDIR CAMARGO disse...

Sua alma prega uma solidão de um sonho de poeta, tens ns mãos uma arma dileta para vencer tal solidão, tens na mente uma dádiva de ser poeta sonhador, escrever maravilhas tiradas de sua dor...
PARABÉNS POETA...

um abraço fraterno...

Tatiana disse...

"Que coisa louca, vem em mim
Guardar você assim
Eu quase vivo da magia
Meu faro caça algum sinal... Da sua boca"

Que lindo!

Receba um abraço com meu carinho

Xana disse...

Cada beijo conta uma história...espero que tenha muitos momentos desses para recordar.

Abraços com carinho :)

O mar me encanta completamente... disse...

Obrigada querido amigo, por publicar em seu cantinho que é um lugar tão gostoso de estar.

Um fim de semana cheio de paz para ti.

Glória