domingo, 13 de setembro de 2009

EU QUERIA FICAR EM TUA MEMÓRIA



Eu queria ficar na tua memória, não sei bem
como, não sei porque, mas queria ficar.
Ficar assim, numa presença indefinida, como
o aroma de uma rosa...

Queria ficar na tua memória, mas tão serena,
tão imperceptivelmente que não chegasse sequer
a perturbar a quietude branca dos teus sonhos...

Queria ficar. Andar na tua recordação
tão levemente, como uma folha seca caindo
devagar sobre a água do rio...

Queria ficar na tua memória de um modo
estranho e suave, meu ser desfeito em música
incorpórea e eterna sublimando-se em teu
coração num momento de Angelus...

Queria ficar devagarinho, sem que te desses
conta, quase sem quebrar tua solidão
que também é minha.

Ficar assim, como um impreciso
convite ao sonho, numa recordação distante,
feita de lua, de rosas e de versos...

Valdelice Pinheiro

10 comentários:

Arantza G. disse...

siempre un placer leer en este espacio donde la poesía es mimada.
Besos

Eliana disse...

BOM DIA, Eduardo

Amigos e amor eu levo no coração e trago-os à memória sòmente para não esquecê-los.

Assim prossigo meu caminho, fica bem mais leve o caminhar.

Linda poesia com suas belíssimas fotografias.

Um abençoado dia para vocês,
Fiquem com Deus,

Marina-Emer disse...

mucho amor en tus poesias ...preciosos versos
abrazos
Marina

a magia da noite disse...

deixando a essência de nós em outras almas propagamos indefinidamente aquilo que somos, marcamos a memória, marcando a alma.

Anabela disse...

Viva!
Não sendo Neruda também não sou o seu Carteiro :)

Se nunca viu o Carteiro de Neruda recomendo vivamente

"Quando se fala n'O Carteiro de Pablo Neruda deveria tropeçar-se nas palavras, ditas ou escritas. Deveria gaguejar-se ou semear reticências palavra sim, palavra não. Quando falamos do filme de Michael Radford deveríamos fazê-lo com uma boina de carteiro, ora na mão, ora na cabeça. Com a convicção de que estamos a descobrir o mundo, ou simplesmente a redescobri-lo. Dizer cada palavra como se fosse a primeira, de tal forma que nos soubesse tão bem que a guardaríamos apenas para as ocasiões especiais. Quando falamos do filme, dizíamos, será bom que também nós, por instantes, façamos de Mario Ruopollo."

Ana Carolina Correia

Ana Margarida Cerveira

Fernando Giestas

4º Ano do Curso de Comunicação Social

Abraço em si

{♥Åññä Lµí§ä♥}_L€ØNARÐØ disse...

Que lindo!
Parabéns seu Blog é todo amor!

Belo inicio de semana para você...

Beijos fica com Deus!

Isa disse...

Boa Semana,Amigo.
Lindas fotos!
Beijo.
isa.

Everson Russo disse...

Ficar na memoria como recordação de amor e ficar na pele como tatuagem de paz...abraços amigo, uma bela semana pra ti...

www.olivrodosdiasdois.blogspot.com

Fernanda disse...

Amigo Eduardo,
Sempre lindos os poemas e belas imagens que os ilustram.

Beijo
Fernanda

Angela Guedes disse...

Oi Eduardo!!!
Estou passando para dar um olá aqui no blog, e desejar uma feliz semana.
Beijinhos
Ângela