quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

COMO UM BARCO

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Como um barco assim cheguei
na calma ondulação das tardes
e a ti eu aportei...

E lento eu desfiz
a armação das velas e te amei
enquanto o sol brilhava...

E nas gotas que ficaram
nas curvas do teu corpo
dos suores de nós...

Reentrei firme e fundo
e nessas águas inventamos
o caminho para casa...

Eduardo Leal

7 comentários:

tossan disse...

Fala Eduardo, esse poema eu gostei!
As fotos também lógico! Abração

Malu disse...

Lindo poema.
Belíssimas fotos.
Excelente música.
Tudo de bom vemos aqui.
Obrigada amigo.

Anônimo disse...

Boa Tarde!
Passando para agradecer suas visitas e me desculpar pela demora em te visitar...
Deixo meu carinho e o desejo que tenha um excelente final de semana...

Beijoss ficam com Deus!

Agulheta disse...

Eduardo. Belo poema onde o amor,leva ao mar e as águas de dois amantes.As fotos sempre boas.
Beijinho Lisa

R.Ferrari disse...

Grande Eduardo.
Falar de seu trabalho é redundância. Mas é uma redundância maravilhosa, pois sempre é gatificante passar por aqui e ver suas fotos e poemas.
Forte Abraço.
E dá-lhe GREMIO.

Graça Pereira disse...

Deliciosas fotos de um mar calmo que embala um poema lindo de amor.
Um beijo e bom fds
Graça

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Caro amigo.

Quando o nosso barco,
depois de muito navegar pelos oceanos da vida,
encontra seu porto seguro,
a vida encontrou o seu sentido
e a sua justificativa.

Um inspirador final de semana para ti.