quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

COMO UM BARCO

Clique nas fotos para ver no tamanho real


Como um barco assim cheguei
na calma ondulação das tardes
e a ti eu aportei...

E lento eu desfiz
a armação das velas e te amei
enquanto o sol brilhava...

E nas gotas que ficaram
nas curvas do teu corpo
dos suores de nós...

Reentrei firme e fundo
e nessas águas inventamos
o caminho para casa...

Eduardo Leal

7 comentários:

tossan disse...

Fala Eduardo, esse poema eu gostei!
As fotos também lógico! Abração

Malu disse...

Lindo poema.
Belíssimas fotos.
Excelente música.
Tudo de bom vemos aqui.
Obrigada amigo.

{♥Åññä Lµí§ä♥}_L€ØNARÐØ disse...

Boa Tarde!
Passando para agradecer suas visitas e me desculpar pela demora em te visitar...
Deixo meu carinho e o desejo que tenha um excelente final de semana...

Beijoss ficam com Deus!

Agulheta disse...

Eduardo. Belo poema onde o amor,leva ao mar e as águas de dois amantes.As fotos sempre boas.
Beijinho Lisa

R.Ferrari disse...

Grande Eduardo.
Falar de seu trabalho é redundância. Mas é uma redundância maravilhosa, pois sempre é gatificante passar por aqui e ver suas fotos e poemas.
Forte Abraço.
E dá-lhe GREMIO.

Graça Pereira disse...

Deliciosas fotos de um mar calmo que embala um poema lindo de amor.
Um beijo e bom fds
Graça

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Caro amigo.

Quando o nosso barco,
depois de muito navegar pelos oceanos da vida,
encontra seu porto seguro,
a vida encontrou o seu sentido
e a sua justificativa.

Um inspirador final de semana para ti.