quinta-feira, 18 de março de 2010

SUA MÃO

Clique nas fotos para ver no tamanho real


A mão do meu suave amor é leve
como uma asa de pássaro a voar..
Tem todas essas curvas que descreve,
pelas areias úmidas, o mar...

De longe, às vezes, num adejo breve,
a alma me afaga, me afagando o olhar...
Mão que se cobre de um alvor de neve
se acaso tento os dedos seus beijar!

Ninguém diria que essa mão serena,
que tanta força tem, sendo pequena,
pode, num gesto de emoções febris,

mudar o curso das eternidades,
desmoronar impérios e cidades,
erguer montanhas.. me fazer feliz!

Onestaldo de Pennafort

12 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Amei o poema e as imagens!
beijos, ficou lindo tudo aqui
te amo

tossan disse...

Muito bonito! Foto e poema. É o amor! Abração

RETIRO do ÉDEN disse...

o Amor está a chegar/nascer com mais intensidade...é a primavera!
Fotos continuam lindas...
Abraço
Mer

direitinho disse...

Nem sempre a mão do amor é leve. Por vezes é pesada demais e a distância que se desenha no mar é infinita.
Belo poema.

Lou a esquizoffrenica disse...

Bonito o poema, adoro mãos, são elas as obreiras daquilo que nos vai na alma, do que queremos guardar. Beijo

RaSena disse...

adoro as mãos!
são mágicas,
podem acarinhar mas...
tenha um lindo findi semana!
abraços,

Graça Pereira disse...

Suave e belo é tudo por aqui!
Bom fim de semana.
Beijo
Graça

Ivana Marisa Altafin disse...

Eu nunca me esqueço das mãos que afagaram meus cabelos e acariciaram meu rosto. Tudo lindo, o poema e as fotos. Um abraço!

poetaeusou . . . disse...

*
belo soneto,
óptima escolha .
,
abraço,
,
*

Mariazita disse...

Um soneto belíssimo e fotos maravilhosas, como sempre...

Fim de semana luminoso.

Beijinhos
Mariazita

cidda disse...

Muito lindo o poema. As imagens no blog também são belas: natureza, família. Tudo de bom!
Abraços,
Cida.

Solange Maia disse...

Eduardo,

gosto de mãos que toquem, que se façam perceber, que sejam delicadas e fortes, como as que aqui narrasse tão divinamente...

parabéns, de novo, e sempre...

encanto-me aqui... sempre.

beijos