segunda-feira, 17 de maio de 2010

QUERIA TANTO VOAR


Queria tanto voar
Ou ser somente vento
Ser onda do mar
Ou estrela no firmamento

Bastava ser assim um dia
Ficaria assaz contente
Por momentos ser livre bastaria
Como nómada gente

Queria ser livre de mim
Soltar- me das minhas amarras
Estar presa em ti assim
Como quando me agarras

Queria ser livre somente
Dentro do teu abraço
Prender-me eternamente
No calor do teu enlaço

6 comentários:

direitinho disse...

Parece que lendo o poema se deseja ser assim ou ficar assim. Preso sempre nos braços que nos amam e naqueles que nós amamos.

Carmela disse...

Como eu queria.

Bjos

A Madrasta Má disse...

Saudades de vc!
Bjinhos da Madrasta!

Ivana Marisa Altafin disse...

Liberdade é uma grande conquista em todos os sentidos. Um abraço poetisa Daniela e um abraço para você Eduardo, sempre com essas fotos tão lindas.

Rosa Carioca disse...

Belo poema, belas fotos. É sempre bom "passear" por este blog.

M@ria disse...

O que dá valor à minha poesia
Não é a página que ela enfeita,
Mas é a paz que propicia
Quando enche de alegria
O peito de quem dela aproveita.

Eduardo De Paula Barreto


Feliz Noite...Beijos na alma!!