segunda-feira, 28 de março de 2011

LUA BRANCA


Ó lua que branca vagueia pelo céu,
Que nas minhas longas noites peregrinas,
Vai derramando em cascatas teu branco véu,
Cobrindo-me de prata entre os montes e as colinas.

Ó lua que branca ilumina e enfeita o céu,
Entre grandes planetas e estrelas pequeninas,
Tens a pureza transparente e doce do mel,
Destacando-se entre as flores das Campinas.

Ó lua que branca mora feliz lá no céu,
Mas, que ás vezes vagueias sozinha ao léu,
Por este mundo grandioso e sem fim.
Se encontrares por ai o meu querido bem,
Traga ela de volta são e salva para mim,
Porque viver sem ela não sou ninguém.

Jose Aparecido Botacini


5 comentários:

Luís Coelho disse...

Momentos de luar dentro da alma prolongando os sonhos.

Um poema ameno e agradável que nos faz viver momentos únicos na vida...

tossan® disse...

Que fotos! Que Lua! Amigos!
Gosto muito porque viver sem eles não sou ninguém. Saudade da Lagoa. Abração Eduardo

Sotnas disse...

Olá Eduardo, desejo que tudo esteja bem com você!
Tão belo sempre tem sido por aqui, que por vezes me esqueço de comentar tudo que por aqui vi!
Muito bom este poema de José Aparecido, em companhia de belíssimas imagens tem sempre tornado deveras agradável por aqui estar!
Parabéns pelo belo cantinho e pelas postagens!
Agradecido pela amizade e visitas. Desejo a você e todos ao redor infindável felicidade, abraços e até mais!

Baraçal-press ® disse...

Mas que bela lua amigo Eduardo, fotos que merecem ser apreciadas devagar para ficar com vontade de ir aí. Abraço

Sél disse...

Olá Eduardo
Linda flor amarela...estás gora também capatando a beleza das flores. Lindas!
Deixo prá vc beijos meus e muito carinho.